• Joana Martins

Carnaval em Segurança

Atualizado: Jan 17


Sim, aproxima-se aí em força o Carnaval. Começam os festejos, os cortejos, as máscaras e tudo o que se lembrarem. Globalmente os miúdos têm um posição bastante polarizada sobre o assunto: há os que adoram e como tal, vibram com as personagens que têm a oportunidade de encarnar, já que estão efectivamente na pele (ou no fato) do herói ou heroína escolhidos. E há os que detestam. Sempre pensei que, gostando eu própria do Carnaval, que os meus filhos iriam adorar. Aaaaaahhhhh, expectativas vãs de uma mãe ingénua...Embora ainda tenha alguma (bastante) esperança no mais pequenino, já tive o meu primeiro embate com a cruel realidade dos factos. O Sebastião detesta. Abomina. Olha com imenso tédio para todas as máscaras. Faz um ar sério e absolutamente reprovador que me faz imaginar que é assim que ele vai olhar para mim quando for adolescente. No desfile carnavalesco da escola ele é SEMPRE aquele que tem o ar mais miserável, mais reprovador, mais enfastiado. Dito isto e passando a assuntos realmente mais importantes, como garantir a segurança dos mais pequenos quando chega a hora de usar máscaras de Carnaval? 1- Escolha um fato ou uma máscara à medida da criança (mais ou menos), especialmente tenha atenção ao tamanho das capas dos super-heróis e às bainhas dos vestidos de princesa, porque já se sabe que a correria vai ser mais que muita e os azares, quando acontecem, dão cabo dos incisivos dos putos! E já bem basta gastar dinheiro em máscaras, ainda temos que ir de charola ao dentista. 2 - Opte por máscaras que tenham adereços na cabeça (chapéus e cabeleiras) e não com máscaras que tapam a cara e escondem a identidade dos miúdos. Caras destapadas, SEMPRE, para não haver confusões de identidade! 3- Não usando máscara facial, podemos optar por usar pinturas: escolha pinturas à base de água, para ser mais fácil a sua remoção. No caso das crianças com pele mais sensível, pode estar de todo desaconselhado. Ainda assim para todas as crianças e independentemente da sensibilidade cutânea, recomendo sempre que se faça um teste prévio de aplicação das pinturas: desenhar com a maquilhagem um quadrado ou um círculo de produto no antebraço e deixar estar durante umas horas. Se não desencadear comichão ou uma erupção cutânea, então é seguro aplicar na face. Isto poupa alguns dissabores nos dias de Carnaval com os miúdos chateados por estarem cheios de borbulhinhas. 4 - Com a disseminação actual das lojas do chinês e com as máscaras low cost que se encontram por todo o lado, esta última recomendação é praticamente utópica. No entanto, a Academia Americana de pediatria é bastante incisiva na recomendação de máscaras com tecidos não inflamáveis. Pude pesquisar e perceber que são comercializadas por algumas marcas. Não são é em conta... 5 - Tenham algum cuidado com os adereços pontiagudos: espadas, pistolas, flechas, escudos, capacetes de viking, tudo em plástico, levezinho e com pontas rombas. Pode ser? Acima de tudo, não se preocupem com a complexidade da máscara: para os miúdos que gostam de se mascarar (i wish...) é aproveitar o máximo para viver com eles o maior número de aventuras possível! Bom Carnaval!

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo