• Joana Martins

Tudo o que precisa saber sobre chuchas

Atualizado: Jan 17

Já sabemos que o assunto da chucha não é consensual, mas na verdade há uma razão médica para os bebés terem chucha: sabemos que a utilização de chucha está associada à redução do risco de morte súbita no lactente. Por isso, sim, vou falar de chuchas! Primeira pergunta: Quando começar a usar chucha? Como devem imaginar, não há estudos sobre isto. E quando não há estudos regemos-nos pelo bom senso! A grande questão é não deixar que o bebé fique confuso entre a chucha e o mamilo da mãe, no caso de estar a ser alimentado com leite materno. O que é que isto significa? Significa que, se temos um recém nascido muito pouco despachado a mamar na mama, não é boa ideia introduzir a chucha, porque a sucção vai ser consideravelmente diferente, os movimentos de reptação da língua menos exuberantes e por isso, o bebé não vai conseguir estabelecer tão bem a amamentação. Por isso, deixa-los mamar bem primeiro e depois passamos à chucha, certo? Infelizmente isto só costuma estabelecer-se na segunda semana de vida! Segunda pergunta: Mas usar chucha para quê ao certo? À parte da prevenção da morte súbita do lactente, gostamos de salientar que a sucção acalma os bebés, organiza-os e é inclusivamente uma estratégia de controlo da dor nas crianças doentes ou que irão fazer um procedimento potencialmente doloroso. Não substimar NUNCA o poder da chucha! Terceira pergunta: Mas se a chucha faz mal aos dentes e eu não quero gastar dinheiro em aparelhos, porque é que eu vou dar a chucha ao meu bebé? Bem pensado, mas se o seu bebé fizer aleitamento materno, temos A CERTEZA que nem todas as sucções serão nutritivas...e a chucha do seu bebé será o seu mamilo. Não quer mesmo dar uma segunda oportunidade à coitada da chucha? Vá oferecendo a chucha por períodos pequenos, entre as mamadas e pode ajudar o seu bebé a auto-regular-se! E mesmo que o bebé adormeça com a chucha, não há problema nenhum! Com o tempo os bebés perdem a auto-regulação pela sucção e começa a ser mais um assunto comportamental. Por isso é que retirar a chucha a um miúdo de 3 anos é muito mais difícil do que a um bebé de 18 meses! Pensem nisto: quanto mais precocemente tirarem a chucha depois dos 12 meses de idade, mais fácil será... E em relação aos dentes: sim, sabemos que o uso prolongado de chucha, leva a uma mordida aberta (incisivos superiores e inferiores afastados e procidentes) e a um palato mais alto e mais estreito. Por isso é fundamental escolher o formato de chucha correcto e ter o cuidado de escolher um tamanho de chucha adequado à idade do bebé! Quarta pergunta: o que tenho de ter em conta antes de escolher uma chucha? As chuchas podem ter 3 composições: borracha, silicone ou látex. Se escolherem chuchas em borracha, optem por borracha natural, sem BPA, ftalatos, PVC e corantes. Quer a borracha, quer o silicone, são elastómeros, mas o silicone é mais resistente ao calor e como tal menos degradável nos processos de esterilização. Por fim, o látex, sendo mais mole é o que se assemelha mais à textura do mamilo materno. Mas é seguramente o menos resistente. A estrutura habitual de uma chucha inclui a tetina, a aba e a argola de fixação. O ideal é serem constituídas por ma peça única, sem juntas, para ser mais fácil higienizar. Para as tetinas existem inúmeros formatos: recomendo obviamente as tetinas anatómicas, com uma haste espalmada, ao invés de redonda, porque garante que os miudos consigam fechar melhor a boca com a chucha posta. A aba deverá ser pequena, indentada para não obstruir o nariz e de preferência com buracos de ventilação, para deixar secar a baba em torno da boca. Cuidados Gerais com a chucha As chuchas deverão ser substituídas de acordo com o crescimento do bebé e a cada 3-4 meses (menos se forem de látex). Usar uma chucha de bebé dos 0-6 meses quando o miúdo já tem 12 meses é desaconselhado A chucha deve acompanhar o tamanho do palato rígido da criança: chuchas com tetinas pequenas num palato grande, só servem para o tornar mais alto! E não é por aqui que a criança se “desabitua” da chucha.

E acima de tudo, nada de coisas doces na chucha...porque fornecer açúcar em permanência às bactérias que naturalmente se encontram na boca, só aumenta o risco de cáries dentárias!

164 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo